Voltando das férias

Olá meus leitores e amigos, estou voltando das merecidas férias… e que férias…

Aconteceu de tudo um pouco (vou tentar ser breve):

1 – na ida pra São Paulo meu carro quebrou na rod. Castelo Branco às 2:30h da madruga. Além do estresse e do medo de assalto, a concessinária SPvias guinchou meu carro até um posto na entrada de Iaras e nos desovou ali no melhor estilo “se vira”. Carro lotado de bagagem, minhas duas cachorras e um dia inteiro parado naquela cidade que é pior que o fim do mundo: não tem restaurante, só uma pousada com 3 quartos já lotada e um mecânico no mínimo duvidoso…isso sem contar o calor infernal com um sol de estralar mamona, a fome danada pois preferi alimentar as cachorras com os lanches que tinha levado, sem banho… aff… coisa de filme de terror ou reallity-show de paciência e resistência. Saímos de lá às 19h rumo à São Paulo. Sem dormir, coisa de doido. Chegando em Sampa descobri que o carro estava com vazamento de óleo, com a válvula termostática aberta e vazamento de água… mais mecânica…

2 – descemos para Praia Grande para passar o Natal e o Ano Novo na casa de praia. Cidade abarrotada, mal dava pra andar no calçadão… praia então nem pensar, acho que não tinha um grão de areia livre… Mercado era no mínimo duas horas nas filas… Lan house foram extintas e esqueci meu modem… por isso sumi da web estas duas semanas… Mas valeu a piscina da casa ehehehehe.

3 – Como choveu… aff… mas até que deu pra pegar um bronze de leve…

4 – tive a oportunidade de conhecer pessoas excelentes lá e em Sampa. Algumas da área e outras não, mas todas pessoas de e do bem.

5 – Praia Grande é uma cidade que está ficando estruturalmente cada ano melhor (apesar do povo que desce pra lá). Desta vez me deu vontade de ir morar lá… está crescendo, o mercado imobiliário bombando… quem sabe…

6 – Pra variar fui na Etna… afff… ai meus cartões…

7 – Na volta, um grandtour: Jaguariuna (mãe, pai, irmã, sobrinhos); depois Itu para ver minha amigona Dry Diniz e conhecer sua nova moradia. AMEEEEEEEEEEEEEEIIIIIIIIIII QUERO MORAR LÁ TBM NUM DOS CHALÉS!!! Depois Campinas, Sorocaba e muita chuva na estrada até Londrina…

Mas de uma maneira geral foi muito bom e deu pra descansar e desestressar. Só de passar a virada na beira da praia vendo a queima de fogos (adooooro) e agradecendo a Deus pela vida e pelo ano já valeu todos os transtornos.

Bom é isso.

Este ano vou me agendar melhor e separar um tempo exclusivo para o blog.

Abraços a todos e que 2010 seja iluminado de sucesso para todos vocês.

Recuperador de calor para chuveiros elétricos

Foi em pleno banho ao lavar os pés sujos de terra avermelhada que o tecnólogo José Geraldo de Magalhães teve uma idéia ao perceber a água quente se esvaindo pelo ralo. Pensou em desperdício e começou a imaginar um sistema que aproveitasse esse calor para ajudar a esquentar a própria água do chuveiro. Sete anos depois daquele dia na sua cidade natal, em Rio Vermelho, no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, Magalhães acompanha, desde setembro, a distribuição gratuita de um lote de 7 mil peças de seu invento para pessoas carentes da Região Metropolitana de Belo Horizonte num programa elaborado e financiado pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Chamado de recuperador de calor para chuveiros elétricos, o sistema possibilita uma redução de 44% no gasto de energia elétrica de uma residência. O recuperador é produzido pela empresa Rewatt Ecológica, da qual Magalhães é um dos sócios. O funcionamento é simples. Em vez da água da caixa ou da rede de distribuição ir direto para o chuveiro, ela segue por uma mangueira e chega a uma plataforma de plástico reforçado instalada no chão do banheiro, com 58 centímetros (cm) de diâmetro e 4 cm de altura com tapete e estrutura antiderrapante.

Dentro dela existe um trocador de calor feito de alumínio, na forma de um encanamento em espiral, que recupera o calor da água quente do banho e aquece, em cerca de 20 segundos, a água limpa no interior do cano. A água aquecida é levada, por pressão natural ou por um pressurizador, para o chuveiro. A diferença do novo sistema é que quando a água chega ao aparelho ela já está pré-aquecida em comparação à existente na caixa. Normalmente a água natural parte dos 20º Celsius (C) e é esquentada no chuveiro até 38ºC, que é a temperatura do banho quente no inverno.

“Se ela já estiver com 27ºC, a diferença cai de 18º para 11ºC”, diz a professora Júlia Maria Garcia Rocha, do Grupo de Estudos e Energia (Green) do Instituto Politécnico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Foi ela quem coordenou os dois testes que comprovaram tecnicamente a viabilidade do sistema, primeiro a pedido de Magalhães e depois da Cemig. “No início, nós não acreditávamos que o recuperador funcionasse. Depois fizemos os testes, o modelamento teórico e, no final, sugestões para melhorar o equipamento”, diz Júlia. “Fiquei tão impressionada que coloquei o recuperador na minha casa.”

Em um dos estudos, Magalhães instalou nove recuperadores de calor em uma academia de ginástica, na cidade de Pedro Leopoldo, Minas Gerais. Com a instalação foi possível substituir os chuveiros de 5.400 watts para outros com 2.000 watts, também foram trocados os de 4.400 watts para 1.800 watts. No primeiro mês da instalação a redução com energia elétrica foi de 1.020 quilowatts-hora (kWh), o que representou a economia de 612 reais na conta de luz. Inicialmente o recuperador de calor está sendo instalado em residências escolhidas pelo projeto Conviver da CEMIG, que leva a eficiência energética a populações carentes. A Rewatt tem planos para comercializar o recuperador. “Estamos nos estruturando para vender o recuperador para um público mais amplo a partir de janeiro de 2008”, afirma Magalhães. O preço inicial do recuperador de calor será de 360 reais.

Fonte:
Mídia eletrônica: Agência FAPESP http://www.agencia.fapesp.br Por Marcos de Oliveira 19/10/2007

http://www.rewatt.com.br/funcionamento.htm
http://www.htmlstaff.org/ver.php?id=13373

acesso em outubro de 2007
envie seus comentários para abrantes@inpi.gov.br. Esta página não é uma publicação oficial da UNICAMP, seu conteúdo não foi examinado e/ou editado por esta instituição. A responsabilidade por seu conteúdo é exclusivamente do autor.

sugado: http://www.inova.unicamp.br/inventabrasil/rewatt.htm